Sobre a fotógrafa

claireA fotografia de Claire Alice Jean é uma viagem pra dentro da alma. Ela é a fotógrafa da paisagem humana. Seus braços contorcem galhos, os corpos se recompõem da terra, cozidos na pedra, moldados de novo em verde-folha-nova, recém paridos filetes de imensidão. Claire resgata deusas e deuses do lodo, do fogo, das fontes que minam dos seus olhos. Fada. Guirlanda de flores na testa, profundo olhar azul sobre a Terra, ela vê o mundo como a criança, com a magia da sua alma, a pureza do que é, do verbo ser, do amor de quem vive por gosto e floresce no outro. Claire faz seus modelos manifestarem os elementos, água e vento, o barro de que somos feitos, a chama do espírito. A fotografia como instrumento a serviço da beleza verdadeira.

Claire se distancia dos padrões de beleza aceitos e perseguidos ferozmente. Suas mulheres são, antes de tudo, hálito, aura, alma. Detalhes da humanidade que não podem ser siliconados. Elas são de água e relva, flor e semente, princípios femininos, Mãe Terra. Seus homens são, primeiramente, o espírito ígneo, o dourado solar, o masculino vermelho, senhores de seus músculos, não o contrário. Harmoniosamente, os princípios se libertam e criam asas e voam juntos. Claire recria cores na pele, como telas. Seus seres possuem uma tonalidade indefinida, como o pássaro místico de San Juan de la Cruz. Resgata ossos ancestrais e, como La Loba, chora vida sobre eles. Magnífico milagre do amor à Vida, a arte dessa mulher encantadora de fontes.

ROSA MARIA MANO